quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Pode-se dizer que minha manifestação é expletiva



Uma manifestação é uma forma de ação de protesto de um coletivo de pessoas.
As manifestações são uma forma de ativismo, e habitualmente consistem numa concentração ou um desfile, em geral com cartazes e com palavras de ordem contra ou a favor de algo ou alguém.
As manifestações têm o objetivo, de demonstrar o descontentamento com algo ou a respectiva promoção em relação a matérias públicas.
É habitual que se considere a manifestação um êxito tanto maior quanto mais pessoas participarem.
Os tópicos das manifestações são em geral do âmbito político, econômico, e social.
No meu caso, o manifesto se torna expletivo; pois sendo uma ação individual com reflexões tidas de alguma forma desnecessárias e com expressões dispensáveis, o escrito aparentemente pode parecer vazio, mas serve para preencher e completar as situações cotidianas, dando ênfase a elas.

Mesmo quando se está só ainda sim é possível fazer a diferença.

Um exemplo disso é O Rebelde Desconhecido, também conhecido como O Homem Tanque, um homem anônimo que ganhou fama em todo o mundo como figura heróica após ser filmado e fotografado durante os protestos na Praça da Paz Celestial em Pequim, em 5 de junho de 1989.
Um solitário estudante parado no meio de uma avenida conseguiu deter uma fileira de tanques que circulava pela praça Tiananmen, em Pequim.


Foto de Jeff Widener, da Associeted Press, tirada em 1989. Esta cena retratada rendeu ao fotógrafo vários prêmios mundo afora.

Naquele ano, uma série de manifestações lideradas por estudantes na República Popular da China, ocorreram entre os dias 15 de abril e 4 de junho de 1989. Os manifestantes, em torno de cem mil, protestavam contra a forma repressiva do Partido Comunista, a corrupção no governo, lentidão das reformas econômicas, alto índice de desemprego e aumento da inflação. Os protestos consistiam em marchas pacíficas nas ruas de Pequim e sua aglomeração acontecia na praça Tiananmen, em Pequim.
Devido a continuidade dos protestos, o Partido Comunista declarou a lei marcial. Na noite de 3 de junho, enviou os tanques e a infantaria do exército à praça de Tiananmen para dissolver o motim. Diante da violência, o governo empreendeu um grande número de arrestos para suprimir os líderes do movimento, expulsou a imprensa estrangeira e controlou completamente a cobertura dos acontecimentos na imprensa chinesa. A repressão do protesto pelo governo da República Popular da China foi condenada pela comunidade internacional.
O exército chinês encerrou de forma brutal o protesto em massa por liberdade  e democracia, na Praça da Paz Celestial, em Pequim. A violência militar teve um saldo de 3,6 mil mortos e 60 mil feridos.